IX Congresso Internacional de História IX Congresso Internacional de História





× Avatar
Esqueci minha senha.

×
Acesso Restrito
Esqueci minha senha.

IX Congresso Internacional de História


Sejam todos bem-vindos ao IX CONGRESSO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA!
O IX CIH é um evento científico-acadêmico, e ocorrerá entre 07 e 09 de outubro de 2019 na Universidade Estadual de Maringá (UEM). E aberto ao público em geral, tendo como um de seus eixos de reflexão a "História da América em debate: fronteiras, ensino e ecologia". O objetivo mais amplo do evento é oportunizar um espaço para o debate e apresentação da produção acadêmica de docentes e discentes, contemplando a todos da nossa grande área da História.

As inscrições para o evento serão feitas em duas fases diferentes: primeiramente para as proposições de Simpósios Temáticos e Minicursos; posteriormente para envio de trabalhos a serem apresentados nos Simpósios Temáticos e para ouvintes, seguindo o cronograma especificado abaixo. Todos que se inscreverem no congresso e confirmarem o pagamento, independente da categoria, poderão fazer os minicursos que lhes interessarem. Em todas essas fases será necessário usar e-mail e cadastrar uma senha. Por favor, guardem bem esses dados.

O pagamento da Guia de Recolhimento (GR) estará liberado a partir do dia 10/06/2019 apenas para os Ouvintes. Os que se inscreverem em Simpósios Temáticos, independente da categoria, deverão aguardar a divulgação dos trabalhos aprovados para efetuarem o pagamento, isto é, a partir de 07/08/2019.

Por favor, leiam atentamente as informações contidas na segunda circular, pois entramos na fase de envio de trabalhos a serem apresentados nos simpósios temáticos.

2ª CIRCULAR

Damos início a fase de inscrição e confirmação de pagamentos de Ouvintes (de 10/06/2019 a 06/10/2019). Ao ser feita a inscrição apenas como Ouvinte, deve-se emitir o boleto de pagamento (link disponível no menu do participante). Os Ouvintes devem usar para o preenchimento do boleto bancário o código 5565. Quando se gerar o boleto, haverá sete (7) dias para o pagamento do mesmo.

Iniciamos também a fase de inscrição de trabalhos nos quarenta e um (41) Simpósios Temáticos aprovados (de 10/06/2019 a 31/07/2019). Os participantes poderão se inscrever em apenas um Simpósio Temático com apresentação de apenas um trabalho. E os trabalhos inscritos serão individuais, não se aceitando coautoria.

Ao ser feita a escolha do Simpósio Temático, a submissão do trabalho deverá conter: Título; Nome completo do participante; Categoria em que se enquadra; e um Resumo. A divulgação dos trabalhos aprovados pelos coordenadores dos Simpósios Temáticos ocorrerá até 07/08/2019. Depois disso é que virá a etapa de confirmação de pagamento de inscrições nos Simpósios Temáticos (de 08/08/2019 a 15/09/2019). Nesta etapa disponibilizaremos um novo link para emitir o boleto de pagamento, onde informaremos os novos códigos, dadas as diferentes categorias das inscrições.

Para os Coordenadores de STs terem a possibilidade de ler com atenção os trabalhos enviados, e assim poderem fazer um melhor debate acadêmico, colocamos como prazo máximo para o envio do trabalho completo 30/09/2019. Os trabalhos que chegarem até essa data sairão nos Anais do IX Congresso Internacional, que estará pronto e disponível a todos até o final do mês de novembro de 2019. Para as normas dos trabalhos, clique aqui.

Haverá um tutorial disponível na página do participante indicando como fazer inscrição nos STs, MCs e envio de trabalhos.

Local e Reservas

Informamos que todas as atividades do nosso evento transcorrerão nas dependências da PUC-MARINGÁ, que fica na Av. Duque de Caxias, 1020 (esquina Av. Prudente de Morais). Fizemos uma parceria com o King Konfort Hotel, que se encontra a quatro quadras da PUC. Exclusivamente para os que se identificarem como participantes do evento, os preços das diárias já fixadas serão: 1) apartamento individual R$ 144,87; 2) apartamento duplo R$ 186,07; 3) apartamento triplo R$ 206,67; e 4) apartamento quádruplo R$ 258,17 - valores que incluem café da manhã e taxas. Em caso de interesse, entre em contato com Jéssica Matos do Departamente de Reservas (reserva@kingkonforthotel.com.br) ou pelos telefones (44) 4009-7000 ou (44) 9.9771-1520 (whatsapp).



Lançamento de Livros

Haverá espaço reservado em auditório para lançamento de livros no dia 07/10/2019, das 17:00h às 19:00h. Pedimos aos autores interessados que entrem em contato com a organização do evento para maiores detalhes.

Para dúvidas e demais informações, acesse o contato do grupo geral do IX CIH pelo Whatsapp (clique aqui) - disponível apenas para smartphone.


Programação

    • 07/10/2019 - Local: Pontíficia Universidade Católica (PUC) - Maringá

      Manhã: Credenciamento

      -Palestra com o Prof. Dr. Márcio Ronaldo Santos Fernandes (Unicentro – Secretário Geral ICA 2021): “A América e suas fronteiras: múltiplas vozes, múltiplos encontros” (10h)
       
      Tarde: Apresentação de Trabalhos nos Simpósios Temáticos

       -Lançamento de livros (17h - 19h)
       
      Noite: Palestra de abertura. Prof. Dr. Héctor Perez Brignoli (Universidad de Costa Rica – Costa Rica): “Historia Global de America Latina”

      Minicursos: Minicursos online com realização de 07 a 18/10/2019.



    • 08/10/2019 - Local: Pontíficia Universidade Católica (PUC) - Maringá

      Manhã: Mesa Redonda: História Ambiental Americana

      -Prof. Dr. Anthony Goebel MacDermott (Universidad de Costa Rica – Costa Rica): “Ecosistemas forestales y regímenes ambientales. Hacia una historia ambiental de Centroamérica en perspectiva global: la explotación forestal como estúdio de caso, siglos XVIII al XX”

      -Profa. Dra. Lise Sedrez (UFRJ): “Natureza urbana: um prazer e um desafio para os historiadores ambientais”

      -Prof. Dr. Gilmar Arruda (UEL): "Desafios políticos da história ambiental na era da devastação"

      -Eng. Agr. João Berdu Garcia Jr.: “O Vale da Seda na Bacia Hidrográfica do Rio Pirapó: crédito de carbono, sustentabilidade e impacto ambiental”
       
      Tarde: Apresentação de Trabalhos nos Simpósios Temáticos
       
      Noite: Mesa Redonda: Ensino de História na América Latina

      -Profa. Pesquisadora Ana Montserrat Barreto Valinotti (Universidad del Norte – Paraguai): “¿Y donde están las mujeres? Avances y desafios para enseñar una historia con perspectiva de género en el Paraguay”

      -Prof. Dr. Luis Fernando Cerri (UEPG): “Desafios do Ensino de História para os jovens da era da pós-verdade”

      -Profa. Dra. Isabel Cristina Rodrigues (UEM): “O Ensino de História Indígena no Brasil na Educação Básica”



    • 09/10/2019 - Local: Pontíficia Universidade Católica (PUC) - Maringá

      Manhã: Mesa Redonda: Fronteiras e História na América Latina

      -Prof. Dr. Ronald Soto-Quirós (Université de Bordeaux Montaigne – França): “Cerrando fronteras en América Central: biopolítica y migración (fines del siglo XIX – 1940)”

      -Prof. Dr. Micael Alvino Silva (Unila): “As relações internacionais e a tríplice fronteira Brasil – Argentina – Paraguai)”

      -Prof. Dr. Lúcio Tadeu Mota (UEM): “Fronteiras étnicas no Guairá Colonial”
       
      Tarde: Apresentação de Trabalhos nos Simpósios Temáticos
       
      Noite: Palestra de encerramento. Prof. Dr. Bartomeu Melià, s.j. (Universidad Católica de Asunción – Paraguai): “La conquista colonial de las lenguas: transformación y substitución”




Atividades

    • 00/00/0000 - ST 01 - A Idade Média em debate: estudo das fontes
      Prof. Dr. Jaime Estevão dos Reis (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Os estudos sobre a Idade Média têm se firmado no Brasil nas últimas décadas. Desde 1996, com a criação da ABREM – Associação Brasileira de Estudos Medievais, vários congressos nacionais e internacionais são realizados em diversas regiões do país. Cabe destacar a existência de laboratórios de pesquisas dedicadas à Idade Média e o grande número de Dissertações de Mestrado e Teses de Doutorado defendidas nos Programas de Pós-Graduação em História, Letras, Educação e outros cursos espalhados pelo Brasil. O número de edições cada vez crescente de fontes e bibliografia, bem como a disponibilidade de obras na internet têm fortalecido os estudos. As publicações acadêmicas são outro fator que atestam a solidez das pesquisas desenvolvidas. Podemos dizer, seguramente, que somos reconhecidos internacionalmente pelo nível das pesquisas desenvolvidas no país. Este Simpósio Temático tem por objetivo reunir pesquisadores para debater, a partir das fontes, a Idade Média, e promover, deste modo, uma maior integração entre pesquisadores brasileiros e estrangeiros.




    • 00/00/0000 - ST 02 - Homens e masculinidades nas relações de gênero
      Prof. Dr. Douglas Josiel Voks (UFMS)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O presente simpósio temático busca agregar estudos relacionados com o campo dos estudos de gênero e da história cultural, utilizando o gênero como categoria central para pensar as definições de masculinidades divulgadas em diferentes contextos históricos, espaços e instituições sociais. Sendo assim, busca-se dar visibilidade à diversidade de produções sobre homens e masculinidades na América Latina, compreendendo a pluralidade da temática ao pensar nas várias masculinidades e nas diversas subjetividades e especificidades envolvidas nesse campo. Esta proposta tem por base o reconhecimento de que este campo particular de estudo e intervenção tem início especialmente na segunda metade da década de 1980, no marco das conquistas históricas dos movimentos feministas e LGBT. Esses movimentos exigiram leituras para além da dicotomia sexo-gênero e de uma perspectiva heteronormativa, trazendo diversos temas que se relacionam com as masculinidades, como por exemplo a organização social das masculinidades e a compreensão do modo como os sujeitos, identificados ao nascer como homens, entendem e expressam identidades. Compreendendo o cenário político nacional e internacional que explicita retrocessos no campo simbólico e institucional, marcados por conservadorismos e expressões machistas, pretende-se gerar discussões teóricas, políticas, éticas e metodológicas, a partir de trabalhos que buscam aliar debates da História com campos de saber diversos e interdisciplinares.




    • 00/00/0000 - ST 03 - História Política e Educação no Brasil Contemporâneo: Movimentos Sociais, Ensino e Diversidade
      Profa. Dra. Ana Lúcia da Silva (UEM); Profa. Dra. Gislaine Gonçalves (SMG)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Ao depreender que a política está em diferentes espaços da vida social, neste Simpósio Temático objetiva-se analisar a História política e a atuação de movimentos sociais que pressionaram e pressionam o Estado brasileiro, para o estabelecimento de políticas públicas que dão visibilidade à diversidade, aos sujeitos anônimos, tais como indígenas, negros, mulheres, entre outros; historicamente silenciados na narrativa da Historiografia Tradicional e eurocêntrica. Propõe-se problematizar as políticas públicas educacionais no Brasil contemporâneo, os novos contornos políticos que anunciam o (des)compromisso com: o investimento na Educação, principalmente na pesquisa e no ensino na área de Ciências Humanas; e a autonomia de professores e professoras nas instituições de ensino de nosso país, desde a Educação Básica ao Ensino Superior, visto o crescente número de adeptos do Movimento Escola Sem Partido.   Diante desta realidade brasileira, visa-se dialogar acerca da História política no Brasil contemporâneo e construir caminhos para a Educação democrática e antirracista, pautada na diversidade e no combate às múltiplas práticas de preconceito e discriminação.




    • 00/00/0000 - ST 04 - História e Educação no MST
      Prof. Dr. Vanderlei Amboni (UNESPAR)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O presente Simpósio Temático tem como objeto a história do MST e as escolas que estão presente no Movimento. Na luta por reforma agrária, o MST também se articula e luta pela escola pública nos seus territórios (acampamentos e assentamentos), como processo de reconhecimento da formação e escolarização dos Sem Terrinhas e da juventude do Movimento. A finalidade é proporcionar aos autores que estudam o MST um espaço de apresentação e debate público sobre a organização interna do MST, as formas e os desafios das lutas sociais pela terra, os processos produtivos desencadeados e a relação com a comunidade externa, além da história e do processo de luta e construção das escolas públicas no acampamento, por meio das Escolas Itinerantes, e as escolas que estão presentes nos assentamento. A natureza do simpósio é acadêmica, mas não há restrição à participação dos sujeitos históricos que fazem as lutas por reforma agrária no país. Como resultado do simpósio temático, será proposto aos autores a transformação dos trabalhos apresentados em capítulos para a edição de um livro.




    • 00/00/0000 - ST 05 - Dilemas da Democracia Contemporânea: Questões Teóricas e Experiências Históricas
      Prof. Dr. Ricardo Gião Bortolotti (UNESP); Prof. Dr. Milton Carlos Costa (UNESP)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O destino histórico da democracia foi marcado de forma teórica e prática em momentos distintos, feitos de criações, rupturas, dificuldades. “O governo do povo pelo povo e para o povo” (Lincoln) teve seu início na Grécia Antiga, caracterizado ao mesmo tempo pela democracia direta e pelo caráter restrito deste regime que excluía as mulheres, os escravos, os pobres e os estrangeiros. Na modernidade, por outro lado, a democracia tomou um caráter representativo, associando-se ao capitalismo em ascensão, marcado pelas revoluções burguesas, principalmente a americana, a inglesa e a francesa, e seus princípios foram registrados em documentos constitucionais, como a Constituição Americana. A partir dos séculos XIX e XX, a democracia foi sendo aprofundada até atingir o Estado do Bem Estar Social, sob o qual, Estado, prosperava não só a igualdade de todos os cidadãos perante a lei, mas também a promessa aos mais desfavorecidos em ampliar suas conquistas econômicas, sociais e culturais. No século XXI, por sua vez, o instituto democrático tem sido desafiado por tendências autoritárias extremistas em várias partes do mundo, inclusive na América Latina. Esse processo, embora experimentado em situações extremas no século passado, após longo período de discussões e de aprendizado, parece trazer à tona forças destrutivas que há muito se pensava abandonadas. Diante disso, esta sessão buscará refletir sobre esses graves processos, procurando esclarecer esse complexo e inquietante momento vivido pela democracia.




    • 00/00/0000 - ST 06 - Ensino de História, Mercantilização da Educação, Políticas Educacionais e Reforma do Ensino no Brasil: a BNCC e suas rimas
      Prof. Dr. Pedro Paulo Lima Barbosa (UNIESP)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Nas últimas décadas, o Brasil tem passado por um aprofundamento em suas políticas macroeconômicas neoliberais. Estas transformações afetam não apenas o campo econômico como também outras áreas como sociedade, política e educação. Devido às pressões do capital internacional, cada vez mais observa-se uma redução na autonomia do Estado-nação com o fim de atender às demandas do capital em detrimento de outros setores da sociedade. Neste sentido, as análises das políticas educacionais e seus desdobramentos na educação, em todos os níveis, devem ser levados em consideração em um espectro mais amplo de mudanças ocasionadas, dentre outros fatores, pela globalização, bem como por fatores geográficos, econômicos, políticos e culturais. As transformações advindas de políticas neoliberais e neoconservadoras na Educação culminaram, nos últimos meses, na aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Destarte, o objetivo deste Simpósio Temático (ST) é fomentar a troca de conhecimentos entre os pesquisadores que têm se debruçado sobre os estudos da BNCC não apenas na área de História como também nas demais áreas do conhecimento. Serão muito bem-vindos trabalhos que versem, diretamente, sobre qualquer aspecto deste documento, bem como sobre os reflexos e desdobramentos que a BNCC tem desenvolvido em âmbito municipal, regional, estadual, nacional ou em uma perspectiva comparada.




    • 00/00/0000 - ST 07 - O Império Brasileiro e suas relações internacionais, 1822-1889
      Prof. Dr. João Fábio Bertonha (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O propósito desse simpósio temático é o de recolher comunicações a respeito das relações internacionais do Império Brasileiro, tanto em relação a seus vizinhos da América do Sul, como também com relação à Europa e América do Norte. Serão particularmente bem vindas comunicações que abordem as relações do Império com atores menos conhecidos, como o México, os Estados Unidos, a Áustria, a Itália, os países andinos, etc.




    • 00/00/0000 - ST 08 - História e Gênero: Conceitos, Narrativas e Representações
      Prof. Dr. Bruno Sanches Mariante da Silva (UEM); Profa. Dra. Isabela Candeloro Campoi (UNESPAR)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50
      A proposta deste simpósio é reunir trabalhos que tenham o conceito de gênero como categoria de análise, que problematizem as identidades, expressões e orientações de gênero em uma perspectiva histórica. Na esteira das reflexões de Simone de Beauvoir que, em sua obra “O Segundo sexo” de 1949, já apontava para a constituição sócio cultural das diferenças biológicas entre os sexos, o movimento feminista e as gerações seguintes de pesquisadoras implementaram análises para além do binarismo, de modo que as noções de identidade são subvertidas e o caráter dicotômico dos gêneros são por fim questionados. As masculinidades e as feminilidades se expressam (e são expressas) em representações e narrativas, estabelecendo papeis sociais compartilhados histórica e culturalmente, definindo padrões hierárquicos de relações de poder, os quais podem ser problematizados em fontes visuais, trajetórias biográficas, na literatura, na imprensa, nas vestimentas. Por fim, o conceito adquiriu tal estigma entre os movimentos conservadores, que o termo “ideologia de gênero” carrega uma força retrógrada atual inestimável, o que pode ser compreendido como uma resposta ao que consideramos ser uma quebra de paradigmas no que tange às expectativas de gênero. Dessa maneira, ensejamos congregar nesse simpósio pesquisas que tenham como recorte as relações de gênero, desenvolvendo reflexões sobre as questões das identidades, das representações (normatizadas ou não) e das narrativas pessoais e coletivas e que se valham, para tal, das mais diversas fontes históricas.



    • 00/00/0000 - ST 09 - Memórias de Resistências e Resistências da/na História
      Profa. Dra. Adriana de Carvalho Medeiros (UNIOESTE); Prof. Dr. Emeson Tavares da Silva (UNICENTRO)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Na contemporaneidade, a relação memória e história ocupa singularmente um lugar na historiografia brasileira, constituindo-se lócus de reflexão de historiadores e pesquisadores de outras áreas do conhecimento que tem como objeto de análise, o passado. Desta maneira, acreditamos que é desafiador problematizar as diversas significações que tateiam os universos da memória e da história, na medida em que conduzem as aproximações e distanciamentos, de modo a evidenciar o caráter relacional entre ambas, bem como pode conduzir para interpretações que transformam a memória em história. Neste sentido, reconhecermos que é um campo fértil dinamizador de discussões acadêmicas e debates correntes na sociedade, já que confere sentido às construções de sentidos que dão vida à realidade social, eivadas não apenas por usos, mas também por abusos. Assim, a proposta desse simpósio tem por objetivo reunir pesquisadores que tem por objeto de análises, as relações entre memórias, identidades e lutas sociais, já que a memória também no século XXI, vem sendo utilizada como estratégia de luta na conquista por direitos – identitários, comunitários, de classe, gênero, etnia etc.




    • 00/00/0000 - ST 10 - História e Linguagens: encontros possíveis entre áreas fronteiriças nos séculos XVIII e XIX.
      Profa. Dra. Silvia Cristina Martins de Souza (UEL); Prof. Dr. Claudio Luiz DeNipoti (UEL)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Este simpósio temático tem como objetivo constituir-se como espaço para discussões que situam a pesquisa histórica nas áreas fronteiriças com diferentes linguagens, aqui entendidas como criadoras de práticas sociais, produtos e produtoras da realidade social em pesquisas delimitadas entre o século XVIII e as décadas iniciais do século XX. Com os avanços atingidos nos últimos vinte anos pela História Cultural, o diálogo estabelecido com outras áreas de conhecimento e a expansão temática resultante deste diálogo possibilitaram que os historiadores começassem cada vez mais a privilegiar objetos de estudos anteriormente pouco contemplados pela academia. Nesse movimento, diferentes linguagens têm oferecido fontes de pesquisas para historiadores preocupados em traduzir o mundo a partir de diversas formas de produção de sentidos construídas pelos homens em diferentes temporalidades. Esse diálogo tem envolvido pesquisas de naturezas diversas, associadas a diferentes (e por vezes antagônicos) modos de conceber o fazer historiográfico, de formular questões e de abordar a documentação, ligados a tradições historiográficas distintas, sendo este um dos aspectos que tem dado visibilidade à História Cultural.




    • 00/00/0000 - ST 11 - História e Regiões de Povos Tradicionais
      Prof. Dr. Ancelmo Schömer (UNICENTRO); Prof. Dr. Oséias de Oliveira (UNICENTRO)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      A proposta deste Simpósio Temático consiste em pesquisadores envolvidos com as abordagens a respeito do conhecimento tradicional, territórios tradicionais, relação com o meio ambiente, direito das populações tradicionais,  condições de especificidade e reprodução cultural, social e religiosa, políticas públicas para os povos tradicionais, exercício de práticas comunitárias e ancestrais, memória cultural, identidade racial e étnica relacionadas aos indígenas, quilombolas, agroextrativistas, seringueiros, quebradeiras de coco babaçu, caboclos, pescadores artesanais, caiçaras, geraizeiros, vazanteiros, pantaneiros, campeiros, comunidades de terreiro, fundos de pasto, faxinalenses, ribeirinhos e demais grupos culturalmente diferenciados e que se reconheçam como tal.




    • 00/00/0000 - ST 12 - Ensino de História na América Latina: Avanços, Limites e Novas Perspectivas
      Prof. Dr. Eder Cristiano de Souza (UNILA); Prof. Dr. Tiago Costa Sanches (UNILA)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      As investigações e os debates sobre o ensino e a aprendizagem da História têm se difundido de forma relevante e abrangente nos últimos anos, possibilitando intercâmbios de experiências e conhecimentos em âmbito regional, nacional e internacional. Tanto no Brasil quanto nos demais países latino-americanos, a atualidade do debate tem foco em questões como as experiências históricas traumáticas e controversas e os desafios para o ensino, a necessidade de aproximação entre os debates epistemológicos e as discussões sobre o ensino, assim como as possibilidades de articulação curricular em âmbito regional, superando o ensino de história pautado no viés identitário e nacionalista. Tendo em conta esse panorama, o presente simpósio busca reunir trabalhos e fomentar debates sobre o ensino e a aprendizagem da História nos âmbitos escolar e universitário, tais como o ensino de temas relevantes e controversos, aspectos e desafios da aprendizagem histórica, formação de professores, avaliação, linguagens culturais, entre outros. O objetivo é promover e analisar o avanço das pesquisas na área, assim como avaliar limitações e identificar horizontes reflexivos, normativos e pragmáticos.




    • 00/00/0000 - ST 13 - História e Literatura: entre as dimensões da experiência social e o debate teórico
      Prof. Dr. Luiz Felipe Viel Moreira (UEM); Prof. Dr. Márcio Roberto do Prado (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Para a História, o silêncio ou a pouca análise de muitos temas por parte de seus profissionais fazem com que inúmeras obras ficcionais ocupem um papel privilegiado. Em semelhante contexto, vemo-nos diante de uma literatura que propõe uma leitura das dimensões da experiência social e da invenção desse social, sendo fonte histórica das práticas sociais de forma geral, pois registra e expressa aspectos múltiplos, diversificados e conflituosos da sociedade no qual está inserida. Pensar o uso da literatura como documento para o historiador, ou o seu contrário, bem como os limites e a pertinência de tal abordagem, é a base da proposta desse simpósio temático, que buscará aglutinar trabalhos que venham a debater e interrogar não só as obras ficcionais como também a sociedade na qual tais obras estão constituídas, além de fazer a discussão do corpus teórico que valida a ponte entre ambas as disciplinas.




    • 00/00/0000 - ST 14 - Estudos interdisciplinares em Antiguidade e Medievalidade
      Profa. Dra. Renata Lopes Biazotto Venturini (UEM); Prof. Dr. José Carlos Gimenez (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      A partir de uma proposta interdisciplinar o presente simpósio tem como objetivo discorrer a respeito dos documentos e da historiografia para o estudo da antiguidade e do medievo. Os eixos temáticos estabelecidos para a discussão seguem a orientação do STVDIA: Grupo de estudos interdisciplinares em Antiguidade e Tardo Antiguidade, criado no ano de 2016. São eles: relações de poder; cristianismo primitivo, instituições antigas e medievais nas regiões ibero-mediterrânicas, cultura e ensino.




    • 00/00/0000 - ST 15 - Pesquisas e Práticas em Ensino de História: articulações entre a pós-graduação acadêmica e a profissional
      Profa. Dra. Márcia Elisa Teté Ramos (UEM); Prof. Dr. Delton Aparecido Felipe (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Pretende abrir a discussão para a relação entre a pesquisa e a prática no campo do ensino e aprendizagem histórica considerando os objetivos dos cursos de pós-graduação. Destaca as linhas de pesquisa em ensino de história dos cursos de pós-graduação denominados “acadêmicos” e os Mestrados Profissionais em Ensino de História (ProfHistória) tendo como objeto: políticas, propostas, currículos, produtos, livros didáticos, metodologias, experiências, etc., desde que devidamente fundamentadas na epistemologia da História¸ bem como em áreas afins. O Simpósio abarcará estudos sobre ensino e aprendizagem de história nos dois âmbitos, acadêmico e profissional, visando estabelecer um diálogo profícuo, entendendo que toda pesquisa neste campo compreende dois tipos de prospecção de futuro que são interdependentes: um pautado no ensino de qualidade, qual seja, o ensino capaz de desenvolver comportamentos e valores de uma sociedade democrática e outro de influenciar a História Pública no sentido de construir ideias, concepções, orientações históricas mais elaboradas/científicas para além da Universidade e da Escola.




    • 00/00/0000 - ST 16 - Estradas de Ferro: economia, política, cultura e sociedade nos séculos XIX – XX.
      Prof. Dr. André Luiz da Silva (FEF); Prof. Dr. Pedro Geraldo Saadi Tosi (UNESP)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Este simpósio temático tem como objetivo ser um espaço de discussão acadêmica a respeito das Estradas de Ferro entre os séculos XIX e XX. A chegada das ferrovias no interior Brasil transformou as paisagens, influenciou a apropriação de novos elementos culturais, esteve ligada aos jogos políticos e aos interesses econômicos de diferentes grupos sociais. Poderão ser objetos dos trabalhos apresentados no simpósio estudos sobre empresas ferroviárias, estudos sobre a relação entre o transporte ferroviário e a urbanização, pesquisas sobre cotidiano e o trabalho no setor ferroviário e a respeito do patrimônio ferroviário. Procuramos reunir estudos sobre Estradas de Ferro que partam de perspectivas historiográficas que englobam a História Econômica, a História Urbana, da História das Empresas, a História dos Meios de Transporte, a História das Ciências e Técnicas, a História Local e Regional, a Micro-História e Memória e Patrimônio Cultural. Entendemos que as ferrovias são objetos de investigação que possibilitam aos historiadores e demais profissionais que abordam a temática uma gama de temas que se entrelaçam e que formam um mosaico que permite a compreensão das dimensões da economia, política, cultura e sociedade brasileira e de outras regiões do mundo no pós-Revolução Industrial.




    • 00/00/0000 - ST 17 - Etno-História Indígena e História do Indigenismo
      Prof. Dr. Lúcio Tadeu Mota (UEM); Prof. Dr. Thiago Leandro Vieira Cavalcante (UFGD)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Nas últimas três décadas, acompanhamos o crescimento da pesquisa sobre a história dos povos indígenas no Brasil, posicionando-os enquanto protagonistas da história e não apenas como vítimas da inexorabilidade histórica. Essa abordagem deu visibilidade a questões relacionadas ao uso de conceitos, e de metodologias. Hoje, existe certo consenso de que a reflexão sobre a história indígena deve destacar a importância da conjugação de dados e métodos de várias disciplinas como história, antropologia, arqueologia, linguística, geografia, ecologia, dentre outras, metodologia que chamamos de Etno-História. Além disso, é fundamental que se valorize as tradições orais e os conhecimentos desses povos. Outro elemento importante para os estudos históricos têm sido a análise da política indigenista, que tem demonstrado o esforço assimilacionista empreendido pelo Estado Brasileiro desde a sua fundação e a pouca efetividade dos dispositivos previstos na Constituição Federal de 1988. Esse simpósio pretende reunir trabalhos de diversas perspectivas que convirjam para o campo da Etno-História Indígena e para a História do Indigenismo.




    • 00/00/0000 - ST 18 - Cultura, Artes e Ditadura Militar
      Prof. Dr. David Antonio de Castro Netto (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Os estudos que têm como temática os anos da ditadura militar brasileira se diversificaram à medida em que tiveram contato com os diferentes matizes teórico-metodológicas que transformaram a produção do conhecimento histórico. Desta maneira, a produção historiográfica transitou (e transita) da crônica jornalística dos anos 1960, passando pelos estudos de viés econômico e marxista dos anos 1970/1980 até atingir as mudanças impulsionadas pela vertente francesa da chamada “Nova História”, da micro-história italiana e da produção da nova esquerda inglesa, especialmente a partir dos estudos de E. P. Thompson. As transformações teóricas abriram caminho para que outros corpos documentais fossem integrados às pesquisas, possibilitando que novos campos de análise forneçam suporte para a compreensão deste período nefasto da história recente do Brasil. Entre estas “novas fronteiras” abertas, destaca-se o campo da cultura e de seu potencial de transformação social no contexto da chamada “arte revolucionária”. Desta maneira, o objetivo deste simpósio é reunir pesquisas que abordem esta esfera, nas mais diferentes manifestações artísticas, tendo em vista os 21 anos de duração do período da Ditadura Militar, levando em consideração aproximações e distanciamentos, ou seja, pensar o campo da cultura, tanto no ponto de vista de sua oposição (arte engajada), quanto de seu aspecto condescendente (arte cooptada).




    • 00/00/0000 - ST 19 - História Cultural do Crime e do Delito
      Prof. Dr. Clóvis Gruner (UFPR); Prof. Dr. Helio Sochodolak (UNICENTRO)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Sob influência inicial da história social e do impacto das pesquisas do filósofo francês Michel Foucault, principalmente, a historiografia sobre o crime e o delito buscou fazer uma história das prisões, mas também dos prisioneiros; da polícia, mas igualmente dos policiais e do policiamento; dos discursos e instituições penais, mas em suas múltiplas e contraditórias interações com a sociedade. A partir dos anos de 1990 se desenvolve uma história cultural do crime, em certa medida um alargamento das possibilidades abertas nas décadas anteriores pela historiografia de corte mais social. A partir desses novos aportes teóricos, a historiografia recente tem se mostrado sensível à articulação entre os discursos, saberes, estratégias e instituições de poder (governos, prisões, polícia, criminologia, etc...), sem descuidar de apontar as descontinuidades entre as formulações discursivas e institucionais e sua efetiva, e por vezes precária, penetração nas experiências e práticas cotidianas. O objetivo desse Simpósio Temático é explorar e discutir temas como crime, criminalidade e criminosos; delitos, delinquência e delinquentes; polícia e práticas policiais; instituições prisionais; discurso jurídico e criminológico, entre outras possibilidades abertas à história do crime e do delito e temas afins.




    • 00/00/0000 - ST 20 - História da Infância e Juventude: direitos e construções
      Prof. Dr. Ailton José Morelli (UEM); Prof. Dr. Marco Alexandre de Souza Serra (PUC)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O objetivo desse Simpósio Temático é proporcionar a oportunidade de encontrarmos pessoas que atuam na área da criança, construindo essa História da infância e da juventude no Brasil. Espaço, portanto, de interlocução com novas perspectivas de análise conferidas pelas possibilidades da abordagem interdisciplinar em História, assim como de interlocução com outros campos do conhecimento e seus profissionais - como é o caso, dentre outros, do Direito, da Educação, da Saúde, do Serviço Social, da Antropologia e do Jornalismo. O Simpósio Temático tem estabelecido o diálogo entre a historiografia e os setores da sociedade voltados à infância, à adolescência e à juventude e incorporando discussões conceituais, sem perder de vista a perspectiva da construção histórica.




    • 00/00/0000 - ST 21 - História, Intelectuais e Educação
      Profa. Dra. Natália Cristina de Oliveira (UFMS); Prof. Dr. Névio de Campos (UEPG)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      A proposta deste Simpósio contempla pesquisas com abordagens e temáticas relacionadas à História, aos Intelectuais e à Educação no contexto brasileiro e internacional. Inserem-se, nesta categoria, trabalhos que promovam uma articulação entre História Intelectual ou História dos Intelectuais, História da Educação, privilegiando as complexas relações entre os sujeitos, as instituições e as ações políticas nos mais diferentes espaços do mundo social, cultural e educacional. Assim, a intenção é possibilitar a divulgação, o debate da produção acadêmica e a visibilidade de estudos de História Intelectual ou História dos Intelectuais e História da Educação.




    • 00/00/0000 - ST 22 - Fronteiras Conflituosas, Ocupação e Colonização na América Latina entre os séculos XIX e XX
      Prof. Dr. Maurílio Rompatto (UNESPAR); Prof. Dr. Leandro de Araújo Crestani (FAG)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O presente simpósio temático tem por objetivo reunir trabalhos acadêmicos centrados na discussão sobre o processo de ocupação e colonização nas fronteiras da América Latina durante os séculos XIX e XX. Ao discutir a temática das fronteiras internas, busca-se compreender a dinâmica da produção da fronteira, permitindo avançar na construção da história dos conflitos agrários, no entendimento que toda a produção de fronteiras pode ser analisada pela dinâmica impressa pelos sujeitos envolvidos em sua construção. Para entender a dinâmica da fronteira interna, não se pode deixar de indagar a formação da fronteira externa no que envolve o conflito entre nações. O entendimento é válido também para a região das três fronteiras, Argentina, Paraguai e Brasil, particularmente no lado brasileiro dessa tríplice fronteira, no extremo oeste do Paraná, por ser uma região de colonização recente e de muitos conflitos agrários. Com isto, este simpósio tem por objetivo trazer para a discussão os conflitos agrários, políticos e culturais que marcaram a história recente desta e de outras regiões do Estado do Paraná. Além de temas voltados para esses conflitos, o presente simpósio tem por objetivo discutir também a questão indígena, a migração e movimentos sociais campesinos.




    • 00/00/0000 - ST 23 - Perspectivas da História das Ideias
      Profa. Dra. Neilaine Ramos Rocha de Lima (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O crescente interesse pelo estudo das ideias reacende a necessidade de discussões que expandam o entendimento sobre o domínio historiográfico da história das ideias. Através de suas diferentes abordagens teóricas e metodológicas, esse domínio da História também proporciona discussões sobre a própria noção de ideias e seus usos em diferentes contextos. Sendo assim, esta sessão abrange um grande rol de temas buscando um nexo entre as questões históricas e o modo como elas se expressam ao nível do pensamento. Estudos de conceitos, pesquisas focalizando a trajetória teórica de intelectuais, bem como estudos sobre teorias e ideologias, dentre tantos outros temas desta área de pesquisa, naturalmente enriquecerão esta sessão.




    • 00/00/0000 - ST 24 - Divulgação científica na internet: experiências e reflexões no campo da história
      Prof. Dr. Marcelo de Souza Silva (UFTM); Prof. Dr. Cesar Agenor Fernandes da Silva (UNISANTOS)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Propomos reunir neste simpósio temático os trabalhos de pesquisa que tratem das diversas manifestações da história pública na internet, a fim de refletir sobre as maneiras como vêm sendo promovidas e quais as características destes materiais de difusão do conhecimento histórico. Com o afastamento dos debates historiográficos do grande público, e graças aos avanços dos meios de comunicação digitais pela internet, os historiadores veem sua legitimidade social para falar do passado diminuída. É notório que grupos e pessoas têm ganhado espaço na discussão pública da história, mesmo sem terem a chancela acadêmica ou passado pelos bancos da universidade. Ainda que não seja este um fenômeno novo, sua dimensão aumentou muito com a difusão rápida do uso da internet, especialmente com os recursos audiovisuais que ela permite serem incorporados nos materiais produzidos para este ambiente virtual de aprendizagem histórica. Também é de se notar que muitos historiadores - e cientistas em geral - têm levado adiante projetos de difusão científica utilizando-se dos mesmos recursos que os não-profissionais. Sendo assim, neste simpósio esperamos promover o encontro e debates entre aqueles que pesquisam a difusão científica pelos meios digitais e, ainda, os que já a fazem de alguma forma e vêm produzindo reflexões sobre suas experiências.




    • 00/00/0000 - ST 25 - O império português: práticas políticas, econômicas, sociais e culturais na modernidade.
      Prof. Dr. Arnaldo Martin Szlachta Junior (UEM); Prof. Dr. Felipe Augusto Fernandes Borges (IFPR)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O presente simpósio visa trazer discussões sobre Império no chamado Antigo Sistema Colonial, levando em conta as conquistas lusas, domínios de vastos territórios na América, África e no Oriente, e as relações das nações e império conectando-se umas às outras em diferentes arranjos temporais e espaciais, cada uma delas com dinâmicas próprias, que se articulavam com o centro da monarquia em Portugal indo além da análise única das relações entre metrópole e colônia, insuficiente para explicar a multiplicidade das experiências de conquista e de colonização na Época Moderna. Assim, pretendemos estabelecer relações de pesquisas que debatem as múltiplas possibilidades que envolvam questões política, econômica, social e cultural em relação a complexa construção do Império Português sobre os séculos.




    • 00/00/0000 - ST 26 - Agricultura, Ciência e Meio Ambiente no Brasil, 1800 – 1930
      Prof. Dr. Mário Roberto Ferraro (UEG)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      A história da agricultura não tem tido o espaço que merece. Visando preencher essa lacuna, esse simpósio pretende agregar pesquisadores que tratem da interface entre história da agricultura, história das ciências e das técnicas e história ambiental, privilegiando a implantação da agricultura científica no século XIX e primeira metade do século XX. Os temas incluem armazenamento (silagens, embalagens); circulação mercadorias e pessoas (estradas, ferrovias); irrigação e drenagem; mecanização (arados, grades, etc.) e adubação (orgânica e química); aclimatação de animais e plantas; entomologia, botânica, zoologia e química agrícola. Em suma pretende-se agregar pesquisadores que estudem a transição da agricultura de ‘corte e queima’, chamada de ‘rotina agrícola’, para a agricultura científica que permitia ocupar terras devastadas pelas práticas agrícolas de então (os chamados desertos). Tanto a agricultura rotineira, quanto a científica causavam fortes impactos ambientais e estudos que abordem relação entre agricultura e meio ambiente terão seu lugar. A aplicação da ciência à agricultura exigia a formação de um homem novo, capaz de entender e aplicar os novos saberes, então houve a necessidade de implantação do ensino agrícola, tanto formal como informal, nessa perspectiva temas como escolas agrícolas, estações experimentais, casas de demonstração de máquinas fazem parte do escopo desse simpósio. Pesquisas sobre história da silvicultura, horticultura e da jardinagem também são bem vindas.




    • 00/00/0000 - ST 27 - Modernidades, Independências e Povos Indígenas
      Prof. Dr. Hernán Venegas Marcelo (UNILA); Prof. Dr. Clovis Antonio Brighenti (UNILA)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O objetivo do simpósio temático (ST) é se tornar um espaço de reflexão e socialização de pesquisas em História, especificamente, em relação às interfaces entre a modernidade(s), os povos indígenas e as independências nos domínios coloniais iberoamericanos. Embora tais termos - modernidade, povos indígenas e independências - sejam recorrentes nos estudos históricos das últimas décadas, de modo geral, existe um espaço a ser explorado e preenchido nos ambientes acadêmicos universitários em relação a tais temas. Interessa para este ST as abordagens da História sobre as diversas experiências da modernidade e os povos indígenas; assim como os estudos históricos renovados sobre as independências em diversas perspectivas de análise (transnacional, nacionais, regionais e/ou local) e suas relações com os povos indígenas. O período que prioriza este ST é amplo e corresponde aos séculos de dominação colonial até as primeiras décadas do século XIX. Espera-se que este ST possa juntar diversas perspectivas, metodologias e/ou abordagens e colocar a História de América em debate o que irá contribuir para estreitar as relações entre a UNILA e as IES da região Sul do Brasil.




    • 00/00/0000 - ST 28 - Texto, Política e História
      Profa. Dra. Eide Sandra Azevedo Abreu (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O simpósio temático objetiva reunir pesquisadores dedicados ao estudo de escritos políticos (obras teóricas, literárias, panfletos, etc.) modernos e contemporâneos, e que busquem interpretá-los de modo vinculado ao tempo histórico em que foram produzidos e divulgados. Serão também aceitos trabalhos voltados à reflexão metodológica acerca da abordagem do texto político.




    • 00/00/0000 - ST 29 - História Intelectual: produção, circulação, mediações
      Prof. Dr. Erivan Cassiano Karvat (UEPG); Profa. Dra. Valeria Floriano Machado (UFPR)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O interesse pelo campo da História Intelectual cresce notadamente, fenômeno que se verifica, por efeito, no aumento do número de simpósios ofertados em diferentes eventos acadêmicos. Diante desta expansão tem se percebido o próprio amadurecimento do campo, com o surgimento ou a ampliação de novos interesses e/ou problemáticas e das possibilidades de investigações, notabilizando-se novas vinculações e diálogos interdisciplinares, seja com a História Política ou Cultural ou, mesmo, com vinculações ao campo do Pensamento Social, à Sociologia dos Intelectuais ou aos chamados Estudos Culturais. Assim, o ST História Intelectual: produção, circulação, mediações tem por intenção congregar trabalhos na área de História Intelectual e que venham investigando aspectos relacionados à produção de ideias/obras e suas formas de circulação, de mesma maneira interessando oportunizar espaço às pesquisas voltadas ao papel dos chamados intelectuais mediadores, entendendo – com isto – a importância em se problematizar o próprio papel e lugar da produção intelectual e de seus agentes/atores.




    • 00/00/0000 - ST 30 - Cinema e representações na América
      Prof. Dr. Ernando Brito Gonçalves Junior (UNICENTRO)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Desde a ampliação das fontes históricas feita durante os anos de 1960 e 1970, o cinema passou a ser visto pelos historiadores como uma importante fonte de pesquisa. Assim, de acordo com a historiadora Michele Lagny (1997), devemos entender o cinema como um produto dos atores sociais de determinada época em que é produzido, ele pode conter elementos que podem ser analisados pelos historiadores, contudo, determinada película ou movimento cinematográfico devem ser problematizado levando em conta: a qual corrente estética pertence a película? Quem é o diretor? Quem são seus produtores? Houve financiamento estatal? Levando em conta essas perguntas podemos pensar em caminhos que a película pode ter circulado, se houve direcionamento a algum público em específico, poderia haver propaganda política contida nesses filmes. Portanto, o filme se mostra com um importante veículo de divulgação de ideias e que nos ajuda a entender melhor o contexto e a sociedade que o produz (VALIM, 2006). Neste sentido, este simpósio em específico possui como objetivo discutir o cinema produzido pela América, buscando tencionar as representações acerta de movimentos e/ou de grupos específicos e suas construções nas mais diversas produções cinematográficas produzidas na América.




    • 00/00/0000 - ST 31 - Velhice e Gênero: as vulnerabilidades no tempo presente
      Prof. Dra. Débora Braga Zagabria (UEL); Profa. Dra. Latif Antonia Cassab (UNESPAR)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O simpósio temático “Gênero e velhice: as vulnerabilidades do tempo presente”, tem como objetivo acolher propostas investigativas que discorram sobre as interfaces entre gênero e velhice, enquanto categorias relacionais e performáticas, revelando a experiência humana de mulheres. Se a categoria gênero se traduz numa construção social, permeada por relações de poder, constituída por atributos e funções, evidenciando diferenças e inter-relações entre seres humanos, na velhice, as mulheres, diante da decrepitude física ocasionada por condições degenerativas e naturais do organismo, aliada às funções sociais, econômicas e culturais atribuídas historicamente, são, quase sempre, arremessadas a inúmeras condições de vulnerabilidades. Destarte, no âmbito da comunidade acadêmica, torna-se importante difundir e fomentar debates sobre os conhecimentos de mulheres idosas, inscritas em estruturas visíveis e invisíveis de exploração, opressão e truculência a que são submetidas, enquanto mulheres e idosas.




    • 00/00/0000 - ST 32 - Ensino e Pesquisa de História da África e das Diásporas Africanas
      Prof. Dr. José Francisco dos Santos (UFOB); Prof. Dr. José Henrique Rollo Gonçalves (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      A proposta básica desse Simpósio Temático, que procura manter laços de continuidade com os que foram realizados em edições anteriores deste Congresso, é reunir pesquisadores e professores que trabalham no vasto universo da(s) história(s) da(s) África(s) e da(s) diáspora(s) africana(s) para apresentarem e debaterem trabalhos pertinentes ao tema. Tendo em vista a importância de agregarmos os que militam na área na atual conjuntura de (a) aberta e franca hostilidade de alguns setores da nação brasileira aos objetos dos quais nos ocupamos como profissionais da história e das ciências humanas e de (b) desaceleração do ritmo do interesse acadêmico por questões da história africana e afrodescendente, não consideramos conveniente estabelecer limites em termos de periodização, de espaços e de objetos empíricos propriamente ditos. Todas as épocas e regiões do continente podem ser devidamente contempladas. Esperamos, assim, obter um balanço do que vem sendo investigado e trabalhado didaticamente no país a respeito do assunto.




    • 00/00/0000 - ST 33 - Consecuencias de la Guerra de la Triple Alianza hasta el presente
      Profa. Dra. Marcela Cristina Quinteros (UFGD); Prof. Dra. Bárbara Gómez (UCA - Paraguai)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      En el año 2019 se cumple el sesquicentenario de la ocupación de Asunción por las fuerzas aliadas en lo que se puede denominar como último tramo de la Guerra de la Triple Alianza, conflicto bélico que marco la historia de América Latina, de los países beligerantes y especialmente del Paraguay, territorio de la contienda. El conflicto en sí mismo como las consecuencias marcaron demográfica, socioeconómica y políticamente la historia posterior del Paraguay y de la relación de este con sus países vecinos. Por otro lado, en el 2019 se cumplen 30 años de la caída de Alfredo Stroessner, dictador que estuvo en el gobierno paraguayo de 1954 a 1989 y marco la historia del Paraguay contemporáneo. Haciendo pie en las dos conmemoraciones el objetivo principal del simposio es crear un espacio para la discusión y la reflexión de trabajos de investigación sobre la historia de Paraguay como objeto principal o transversal que aborden temáticas desde la mitad el siglo XIX y hasta la actualidad que permitan repensar y/o discutir aspectos demográficos, socio-económicos, políticos e historiográficos.




    • 00/00/0000 - ST 34 - Ensino e usos da História: disputas, memórias e práticas na escola e na formação docente
      Profa. Dra. Maria Andréa Angelotti Carmo (UFU); Prof. Dr. Luiz Carlos do Carmo (UFG)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Este Simpósio Temático busca aglutinar pesquisas e experiências que perspectivem aspectos do ensino-aprendizagem em História considerando as diferentes experiências sociais e suas combinações, somadas às distintas memórias sociais brasileiras. Espera-se ponderar sobre a trajetória histórica, a forma como se constitui (ou não) enquanto conhecimento histórico escolar e, como participa, efetivamente, da construção de uma sociedade múltipla, em que os diversos grupos sociais, assim como os seus entendimentos do passado, por meio dos diferentes usos da História, são considerados como um dispositivo aglutinador que pode caminhar para a equidade ou para a dissensão. Propomos estabelecer um espaço de socialização de pesquisas e experiências em um diálogo coletivo e plural no contexto das demandas atuais da formação escolar, do lugar social e dos múltiplos usos do ensino de História. Nessa perspectiva, os temas como a formação docente, à luz dos diferentes usos do ensino de História, as práticas em sala de aula, a produção do conhecimento histórico, considerando as implicações do tempo histórico de uma sociedade que convive com a difusão de informações em alta velocidade, nos desafiam a problematizar a formação de professores para o ensino de História, dentre outras questões que encerram o processo de ensino-aprendizagem.&




    • 00/00/0000 - ST 35 - Estudos do Tempo Presente
      Profa. Dra. Meire Mathias (UEM); Prof. Dr. Sidnei Munhoz (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O Simpósio Temático Estudos do Tempo Presente propõe discutir questões metodológicas e epistemológicas relacionadas aos desafios do Tempo Presente, bem como, suscitar o debate interdisciplinar relacionando questões de história política, história das relações internacionais, política internacional, cultura, cinema e música. Tem-se especial interesse nos temas relativos a Estado, sociedade, desenvolvimento, guerras, imprensa, cinema, literatura, música, propaganda, diplomacia, política externa brasileira, entre outros, concernentes às áreas de Ciências Sociais, História e Relações Internacionais.




    • 00/00/0000 - ST 36 - Patrimônio, Educação e Turismo na América Latina e Caribenha: dos museus aos núcleos de preservação cultural e ambiental
      Profa. Dra. Sandra de Cássia Araújo Pelegrini (UEM); Profa. Dra. Aurea Paz Pinheiro (UFPI)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      As demandas da patrimonialização têm se intensificado no século XXI e, como tal, têm nos colocado diante do acirramento das disputas pela memória e de reivindicações de diversos grupos e/ou etnias que clamam pelo reconhecimento de seus bens e tradições culturais, tomados como representações identitárias. A percepção dessa dinâmica torna imperioso o enfrentamento das correlações de forças entre os gestores públicos e os grupos que reivindicam a preservação das ambiências naturais e das culturas materiais e imateriais. Nesse sentido, interessa a esse simpósio reunir pesquisadores e demais profissionais empenhados em problematizar o potencial criativo dos museus e dos centros de memória tomados como guardiões da cultura material e imaterial; em analisar produções artísticas que inspirem a abordagem das representações identitárias no Ensino de História; em refletir acerca das atividades turísticas embasadas no desenvolvimento sustentável, na valorização das populações residentes, dos núcleos históricos, das paisagens culturais e das áreas de conservação ambiental.




    • 00/00/0000 - ST 37 - Sociedade e natureza: pesquisas, desafios e perspectivas da história ambiental no Brasil
      Prof. Dr. Gilmar Arruda (UEL); Profa. Dra. Alessandra Isabel de Carvalho (UEPG)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      A proposta desse simpósio incorpora múltiplos temas, que relacionam os estudos das relações entre sociedade e natureza, desde a reconstrução do mundo natural até suas mais diversas representações e usos: discursos, práticas, tecnologia e ciências, percepções do mundo natural. Este ST propõe reunir trabalhos que investigam as correlações entre História, Espaço, Território e Natureza polemizando sobre a transformação do meio físico e da paisagem e os impactos dessas alterações para as comunidades naturais e humanas. São importantes tanto os estudos que discutam os conceitos e as fontes, quanto aqueles que refletem sobre as representações, concepções e atitudes e, bem como, os que analisam os processos e atividades humanas concretas. Nesse sentido interessam, entre outros, os estudos relacionados aos aspectos étnicos, demográficos, socioambientais e naturais da formação histórica do território, como aqueles que se debruçam sobre os desafios da sustentabilidade; as mudanças climáticas antropogênicas; as relações entre movimentos sociais e o ambiente. Busca-se propiciar o diálogo entre diferentes abordagens teórico metodológicas e viabilizar a troca de informações entre pesquisadores com focos espaciais e temporais diversos.




    • 00/00/0000 - ST 38 - Povos Indígenas no Brasil: História, Educação e Políticas Públicas
      Prof. Dr. Éder da Silva Novak (UFGD); Profa. Dra. Maria Simone Jacomini Novak (UNESPAR)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      A temática indígena tem sido amplamente discutida por diferentes áreas do conhecimento, nos últimos 40 anos, na perspectiva de evidenciar o protagonismo indígena no período pós-contato, o que tem contribuído para reformular ideias e pensamentos sobre os conhecimentos e presença da grande diversidade étnica, cultural e linguística desses povos, bem como para desconstruir estereótipos e preconceitos que perduram após 500 anos de contato. Objetivando contribuir nessa desconstrução, propomos este espaço multidisciplinar de discussão de pesquisas que investiguem problemáticas dos povos indígenas em suas diferentes abordagens no campo das Ciências Humanas, da Educação e das Políticas Públicas, tais como a obrigatoriedade do ensino de história e cultura dos povos indígenas no Brasil, concernentes à Lei 11.645/2008, e as políticas para implementação da educação escolar indígena na Educação Básica e Superior, conforme estabelecidas na Constituição Federal de 1988 e demais pesquisas que analisem discussões acerca dos direitos indígenas e das políticas públicas para esses povos.




    • 00/00/0000 - ST 39 - Crenças e práticas religiosas: teoria e metodologia.
      Profa. Dra. Solange Ramos de Andrade (UEM); Profa. Dra. Vanda Fortuna Serafim (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O Laboratório de Estudos em Religiões e Religiosidades – LERR-UEM apresenta este Simpósio Temático cujo principal objetivo consiste em analisar as diversas manifestações de crenças e práticas religiosas e suas relações com os discursos que o compõem. Para tanto busca refletir acerca dos processos nos quais os diversos grupos religiosos produzem e/ou reproduzem seus discursos e normalizam suas práticas em diferentes espaços - religiosos ou não. Atentar às experiências religiosas exige um aparato conceitual, teórico e metodológico que permita lidar as inerências e singularidades de cada objeto. Para estudar as crenças nesta perspectiva, deve-se partir do conhecimento dos contextos socioculturais nos quais surgem e se desenvolvem; dar conta dos fatos religiosos em termos da totalidade da cultura e da sociedade em que estão inseridos, na tentativa de apreendê-los em sua complexidade e especificidade. Nesse sentindo, o ST preza pelo diálogo transdisciplinar com o intuito de contemplar os diversos enfoques que se lançam sobre as crenças e/ou práticas religiosas, não apenas da religião e seus desdobramentos, mas também da experiência religiosa como construção de conhecimento.




    • 00/00/0000 - ST 40 - O diálogo da História Política com temas sensíveis: Historiografia e Pesquisa
      Prof. Dr. Angelo Priori (UEM); Prof. Dr. Leandro Brunelo (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Neste Simpósio Temático, nossa preocupação central é fazer uma reflexão sobre a história política, desdobrando o debate para temas, abordagens e problemas mais sensíveis, tais como a questão das graves violações de direitos humanos, da violência, das ditaduras, da tortura, do autoritarismo, do holocausto, da escravidão, da imigração diaspórica, bem como das questões de gênero (mulheres e grupos LGBTs), dos indígenas, dos camponeses e dos quilombolas. Historicizar esses temas é fundamental para refletir sobre questões tais como: cidadania, justiça social, igualdade, liberdade e direitos humanos e sociais historicamente conquistados, por meio de lutas políticas e sociais de muitos/as agentes sociais. A “dívida” de memória que as sociedades brasileira e latino-americana têm com povos e grupos sociais que sofreram graves violações é imensa. Assim sendo, temos que buscar ferramentas teóricas e metodológicas adequadas para analisar esse passado sensível e traumático e apontar caminhos de reflexão para os esquecimentos da sociedade, tanto os construídos, como os silenciados. Este Simpósio Temático tem como objetivo oferecer um espaço de diálogo sobre estas áreas de pesquisa, privilegiando trabalhos que apresentem pesquisas recentes e/ou inovadoras sobre política e movimentos sociais e suas relações com os temas sensíveis, com enfoque no Brasil e na América Latina; e reflexões teóricas, metodológicas e empíricas sobre a questão da memória.




    • 00/00/0000 - ST 41 - Evolução História Institucional e Desenvolvimentista: (des)ajustes da Nova Configuração Mundial e o Desenvolvimento Regional
      Prof. Dr. Paulo Cruz Correia (UNESPAR)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50
      Este Simpósio Temático (ST) se propõe a apresentar questões atinentes à evolução histórica do desenvolvimento econômico, baseado em pesquisas sobre desenvolvimento econômico, sendo um instrumento que analisa suas bases teóricas e empíricas, envolvendo os aspectos local, regional e setorial. O Brasil e o mundo passam pela busca de uma reafirmação dos valores históricos, econômicos, étnicos, envolvendo um grande número de agentes locais, regionais, interdisciplinares, políticos e econômicos que buscam nova coloração e sustentação. Esta é a problemática implícita na discussão sobre desenvolvimento econômico. Nessa discussão, as instituições também têm espaço garantido, participando por meio da indução e organização do processo de desenvolvimento. Salienta-se que o desenvolvimento é um processo e que precisa ser constantemente calibrado. Como muito bem assinalou Marx: "É a mercadoria o ponto de partida do capitalismo; é comprar para vender e vender para comprar." Ao longo da história esta problemática marcou o processo de evolução econômico e social e que merecem ser lembrados e discutidos em Simpósio Temático.



    • 00/00/0000 - MC 01 - Avá-Guarani e Ruralistas na demarcação da Terra Indígena Guasu Guavira (Oeste do Paraná, décadas de 1980 a 2010)
      Prof. Dr. Rinaldo José Varussa (UNIOESTE); Prof. Dr. Vagner José Moreira (UNIOESTE)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Este mini-curso visa discutir, a partir de diálogo com a bibliografia e pesquisa empírica em fontes documentais (imprensa, documentos oficiais, entrevistas orais, imagens e filmes) o processo de demarcação da Terra Indígena Guasu Guavira, no Oeste do Paraná, tendo em conta principalmente a disputa constituída entre os Ava-Guarani e ruralistas. Considerando como marco inicial do processo a formação do lago da hidrelétrica de Itaipu, fator que estabeleceu uma redistribuição tanto das populações humanas (indígenas e não-indígenas) quanto das ocupações das terras na região, o mini-curso buscará abordar diversos momentos da busca pela demarcação da TI em questão pelos indígenas, discutindo as divergentes perspectivas constituídas ao longo do período, o qual se estende até o presente vivido, abarcando a legislação, o direito, as ações e modos de vida e de trabalho, de ocupação e posse da terra.




    • 00/00/0000 - MC 02 - História Escolar e o ensino por competências presentes na BNCC, nos anos finais do Ensino Fundamental
      Prof. Dr. Pedro Paulo Lima Barbosa (UNIESP)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Na BNCC, a noção de competência é utilizada enquanto tratamento pedagógico de conteúdos. Neste sentido, o intuito do Governo Federal é alinhar as políticas educacionais brasileiras às políticas globalistas que advogam, para a Educação, valores internacionais. Esta mudança ocorre tanto por pressão social quanto mercadológica. Há também uma pressão internacional para esta reformulação por considerar o ensino por disciplinas como um conhecimento fragmentado, academicista, individualista, pouco relevante e atrativo aos alunos. A disciplina de História, como componente curricular, está inserida na Base Nacional Comum Curricular na área de Ciências Humanas. Tal como as demais áreas de conhecimento apresentadas (Linguagens, Ciências da Natureza, Matemática, Ensino Religioso), as Ciências Humanas possuem um quadro de competências específicas. Neste sentido, nosso objetivo neste minicurso é trazer à baila novos desafios que a BNCC traz não apenas ao professor de História como também das demais áreas: o ensino por competências. Embora o foco seja a componente curricular de História, este minicurso dá a possibilidade de se estudar outras componentes contempladas pela BNCC do Ensino Fundamental dos anos finais.




    • 00/00/0000 - MC 03 - Monges e Ascetas: Crenças, Práticas e a Institucionalização pelo Cristianismo na Antiguidade
      Profa. Me. Nathany Andrea Wagenheimer Belmaia (UFPR)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Durante o período de institucionalização do cristianismo como religião, houve uma forte fiscalização para que se cumprisse as diretrizes da Igreja primitiva, decididas em sínodos e concílios. As novas concepções teológicas que surgiam eram declaradas cismáticas, heréticas ou incorporadas. O objetivo desse minicurso é introduzir a questão do que é um monge, abordar o que são práticas ascéticas, a história do surgimento dessa vertente dentro do cristianismo desde ca. de 270 com os primeiros ascetas nos desertos da Síria, que priorizavam, solitariamente, a contemplação a Deus e as lutas contra seus “próprios demônios” (Colombás, 1974: 1.37), contemplando um percurso sobre a vida, filosofia e teologia de alguns dos principais representantes na antiguidade, como Santo Antão (251 - 356), Basílio de Cesareia (329 – 379), João Cassiano (360 – 435) e Agostinho de Hipona, o Santo Agostinho (354 – 430). Buscar-se-á abordar também uma introdução à Regra dos Padres, Regras do Mestre, que regulamentavam esse estilo de vida, os tipos de comunidades monásticas (cenobitas, anacoretas, sabaites, gyrovagues), assim como a institucionalização dessa vertente pelo cristianismo até o século VI.




    • 00/00/0000 - MC 04 - Cultura material e gênero na imprensa: do masculino ao feminino em periódicos
      Prof. Me. Felipe Bastos Maranezi (UEM); Prof. Me. Herculanum Ghirello Pires (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O mini-curso tem por objetivo fornecer subsídios teóricos e metodológicos às narrativas da moda, envolvendo a imprensa e os gêneros nas espacialidades e ambiências. Posto isso, desenvolveremos o trabalho em três partes: 1) As fontes impressas e artefatos da cultura material nas produções de significados para as virilidades e feminilidades; 2) Os discursos de elegância nas imagens das propagandas em periódicos; 3) Os sentidos da moda construídos pelos periódicos nas relações de gênero como produtoras de feminilidade e masculinidade.




    • 00/00/0000 - MC 05 - A imprensa como fonte histórica: questões teóricas e metodológicas na prática
      Profa. Me. Danielle Christine Othon Lacerda (UFRJ)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O crescente aporte da imprensa no campo da pesquisa histórica reflete uma maior percepção do seu valor documental e simbólico para os estudos históricos. Com a renovação do campo da História e, particularmente, da História Cultural, houve uma dilatação do campo temático, provocando uma nova forma de olhar para os fatos e, com isto, ampliando consideravelmente os tipos de fontes aceitas para a construção histórica. Neste contexto, a imprensa, antes vista como uma fonte pouco segura, devido ao seu caráter efêmero, assume um novo papel para o trabalho do historiador. O sentido fugaz da informação impressa em jornais, revistas e, mais recentemente, em sites e blogs, destacam o registro do momento em que aconteceu o fato. Tais evidências representam os pensamentos e ideias de uma época. Contudo, os discursos produzidos se inserem em meio às disputas e interesses de cada meio. Desta forma, cabe ao historiador estar atento aos cuidados e limites que a imprensa, como fonte, impõe. O objetivo deste minicurso é discutir métodos de análise da imprensa como fonte histórica, apontando os riscos e as precauções necessárias, refletindo sobre possíveis abordagens teóricas e metodológicas, de modo para uma pesquisa eficiente e eficaz.




    • 00/00/0000 - MC 06 - Mutilação Genital Feminina e Refúgio: Direitos da Mulher e migração no tempo presente
      Profa. Dra. Adriana de Carvalho Medeiros (UNIOESTE)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O termo Mutilação Genital Feminina (MGF) foi adotado desde 1991 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para identificar diferentes tipos de procedimentos que envolvam a remoção parcial ou total da genitália externa feminina e/ou qualquer outro dano aos órgãos genitais femininos por razões não médicas. Neste sentido, ao adotar o termo “mutilação” ficou expressa ideia de violência contra mulheres e o compromisso dos organismos internacionais em erradicar esta prática que está presente em 30 países africanos e asiáticos, mas também em comunidades na Europa e América Central e do Sul. Estima-se que cerca de 500 mil mulheres no mundo foram submetidas ao procedimento e que cerca de 8 mil meninas entre 04 e 12 anos são submetidas diariamente a MGF. Atualmente, as Organização das Nações Unidas (ONU), a Amnistia Internacional e Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e Parlamento Europeu reconhecem a MGF como uma violação dos direitos da Mulher e da Criança, e por isso, alguns países europeus criaram uma legislação específica que criminaliza a MGF e promovem projetos a níveis transnacionais que denunciam a violência e impactos sociais, psicológicos e físicos da prática. Este minicurso tem como objetivo apresentar as principais características da prática.




    • 00/00/0000 - MC 07 - Pesquisa em História por intermédio das fontes online
      Profa. Me. Ana Caroline Siqueira Martins (UEM); Profa. Me. Carla Cristina Siqueira Martins (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Esse minicurso, proposto por integrantes do Laboratório de Estudos e Pesquisas em História, Moda e Cultura (La-Moda/UEM - CNPQ) tem como objetivo apresentar conceitos e técnicas pertinentes às pesquisas e/ou futuras pesquisas no campo da História que tem ou almejam como fonte o ambiente online. Para tanto, serão abordadas práticas, posturas e preocupações metodológicas e éticas fundamentais para esse fim. Sites e redes sociais serão privilegiados na discussão, por serem fontes documentais online que apresentam recursos para análise textual – verbal e/ou falado e imagético, o que expressa de maneira considerável a dinâmica da sociedade e cultura contemporânea. Logo, ir além das fontes tradicionais pode trazer maior profundez às investigações acadêmicas, em especial as que têm como enfoque a História do tempo presente.




    • 00/00/0000 - MC 08 - Como se faz um santo? Santidade e Imagem no Cristianismo
      Prof. Me. André Luiz Marcondes Pelegrinelli (USP)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      Façamos o homem à nossa imagem, como nossa semelhança” (Gn 1, 26), a célebre frase divina que inaugura a história na cosmovisão cristã é alicerce para a busca humana da reaproximação ao protótipo divino: homens e mulheres pontuaram a história pela sua dedicação à religião e, uma vez mortos, se destacaram entre outros mortos: são santos! Humanos mais próximos da imagem criada inicialmente que retornam aos céus e, de lá, observam e rezam pelos seus sucessores. A tradição dos eleitos judaicos somada a uma leitura bíblica apocalíptica e evangélica criou o santo cristão que, mais próximo da imagem de Deus, se transformou também em imagem pelas mãos de homens terrenos. O cristianismo é uma religião de imagens e, assim como Cristo e a Virgem, esses mortos especiais também ganharam um forte apelo visual. Neste minicurso, apresentaremos uma introdução ao estudo da santidade e de suas imagens, compreendendo a polissemia do conceito em suas compreensões institucionais, assim como o modo com que as ciências humanas têm abordado a questão. Contextualizaremos as diversas possibilidades de santidade ao longo da história e discutiremos, ainda, o modo como o cristianismo assimilou o uso e as funções das imagens e relacionou a potência de criação visual a estes humanos mais divinos, criando uma miríade de figurações plurais e adaptáveis às mais diversas demandas.




    • 00/00/0000 - MC 09 - Processo historiográfico do gênero biografia histórica: análises, debates e questões
      Profa. Me. Daniela Reis de Moraes (UEM)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      A proposta deste minicurso tem como escopo debater processo historiográfico da biografia histórica. Compreendemos que tal gênero historiográfico, assim como outros, passou por consideráveis mudanças, principalmente no que toca aos usos da biografia, ora cumprindo um papel de legitimação dos “grandes feitos e heróis”, principalmente entre os séculos XVIII e XIX, ora atendendo às exigências mercadológicas mais recentes, protagonizando polêmicas de biografias não autorizadas. A legitimação da biografia passa por julgamentos, sobretudo, quando esta é vista como produção meramente ficcional. A proposta deste minicurso é de mergulhar no sujeito biografado como um meio que permite a abertura de um leque maior para o estudo do sujeito histórico inserido em corpos sociais, onde sua vivência tem sentido por se inserir em lugares propícios para relações de poder. Autores como Pierre Bourdieu, François Dosse e Benito Bisso Schmidt, comporão o debate.




    • 00/00/0000 - MC 10 - Princípios básicos para a organização de Inventários, Museus e Centros de Memória nas Escolas
      Profa. Dra. Sandra de Cássia Araújo Pelegrini (UEM); Profa. Dra. Janaina Cardoso de Mello (UFS)

      Local: . Horário: - - Vagas: 50

      O minicurso promoverá discussões sobre a relevância das relações entre os museus, centros de memória e a produção do conhecimento histórico; e também, debates sobre a valorização dos patrimônios escolares nos espaços de sociabilidade das instituições do Ensino Básico. Estes enfoques, em última instância, culminarão na análise de inventários participativos realizados nas escolas e municípios, embasados nos conceitos de sustentabilidade e pertença. Para tanto, serão abordados instrumentos técnicos necessários para organização dos acervos, coleções e exposições; de ferramentas básicas para a elaboração de projetos de expografia; das metodologias da História Oral; de métodos de identificação, registro e divulgação dos bens culturais.








Período de inscrição

Fique atento aos prazos para inscrições!


  • Data Inicial 10/06/2019
  • Data Final 31/07/2019
  • A submissão de trabalhos só poderá ser feita após a inscrição no evento *

Valores

CategoriaAtéValor
Docente Ensino Superior06/10/2019150.00
Docente Ensino Básico06/10/2019100.00
Discente Pós-graduação06/10/2019100.00
Discente PIC/PIBIC/PIBID/PIBIT/PIBIS/PET e RP06/10/2019100.00
Ouvinte06/10/201950.00


CRONOGRAMA DE INSCRIÇÕES

 

INSCRIÇÕES

DATAS

Apresentação de propostas de Simpósios Temáticos e Minicursos

De 01/05/2019 a 31/05/2019

Aprovação e divulgação dos Simpósios Temáticos e Minicursos

Até 09/06/2019

Inscrição de trabalhos nos Simpósios Temáticos

De 10/06/2019 a 31/07/2019

Inscrição e confirmação de pagamento de Ouvintes De 10/06/2019 a 06/10/2019
Inscrição de participantes nos Minicursos De 10/06/2019 a 30/09/2019

Divulgação dos trabalhos aprovados para os Simpósios Temáticos

Até 07/08/2019

Prazo para confirmação de pagamento de inscrição nos Simpósios Temáticos

De 08/08/2019 a 15/09/2019

Envio do trabalho completo

Até 30/09/2019

inscrição

Inscrever

Hoje é 23/07/2019

Inscrições abertas


×

Inscrição

Selecione o tipo de inscrição
CategoriaValor
Docente Ensino Superior150.00
Docente Ensino Básico100.00
Discente Pós-graduação100.00
Discente PIC/PIBIC/PIBID/PIBIT/PIBIS/PET e RP100.00
Ouvinte50.00

Precisa de ajuda?





1ª CIRCULAR:

Simpósios Temáticos:
- Proponentes: 1 ou no máximo 2 professores doutores de IES ou Institutos de Pesquisa.
- Proposta: envio do título e resumo do simpósio.

Minicursos:
- Proponentes: 1 ou no máximo 2 professores (serem ao menos doutorandos).
- Proposta: o proponente deverá submeter a proposta de minicurso contendo título, nome dos ministrantes/Instituição e resumo.
- Os minicursos serão oferecidos via EaD, com carga horária de 4 horas.
- Após a aprovação da proposta, o material será postado na plataforma Moodle utilizada pelo Núcleo de Educação a Distância (NEAD) da UEM, conforme orientações a seguir:
  1. O ministrante receberá um LOGIN e uma SENHA para acessar a Plataforma Moodle e postar a vídeo-aula e o material.
  2. O ministrante deverá gravar a vídeo aula no estúdio do NEAD/UEM (que postará no ambiente do curso proposto o material gravado); ou gravar em equipamento próprio e postar no ambiente do curso.
  3. O ministrante, no fórum criado no ambiente do seu minicurso, apresentará a sua proposta, por escrito, sugerindo alguma reflexões a fim de estimular os participantes a conversarem com ele e com os outros participantes.
  4. O participante acessará o ambiente do minicurso, assistirá ao vídeo principal, bem como outros que estiverem disponibilizados, lerá os textos sugeridos, acessará outros espaços da internet sugeridos pelo ministrante etc.
  5. O participante acessará o fórum do minicurso e apresentará para o ministrante as suas dúvidas, considerações, argumentações, enfim, se manifestará quanto à reflexão que está sendo proposta.
  6. A partir desse ponto, a discussão estará aberta e os participantes estarão interagindo com o ministrante e com os demais participantes.
  7. O ministrante deverá entrar no ambiente do seu minicurso pelo menos duas vezes por dia para conversar com os participantes.
  8. A avaliação dos participantes será feita prioritariamente levando em consideração a presença e discussão efetiva dos mesmos no fórum.
Período de submissão de trabalhos: de 10/06/2019 a 31/07/2019

Áreas

  • Proposição de Simpósio Temático
  • Proposição de Minicurso
  • ST 01
  • ST 02
  • ST 03
  • ST 04
  • ST 05
  • ST 06
  • ST 07
  • ST 08
  • ST 09
  • ST 10
  • ST 11
  • ST 12
  • ST 13
  • ST 14
  • ST 15
  • ST 16
  • ST 17
  • ST 18
  • ST 19
  • ST 20
  • ST 21
  • ST 22
  • ST 23
  • ST 24
  • ST 25
  • ST 26
  • ST 27
  • ST 28
  • ST 29
  • ST 30
  • ST 31
  • ST 32
  • ST 33
  • ST 34
  • ST 35
  • ST 36
  • ST 37
  • ST 38
  • ST 39
  • ST 40
  • ST 41

Formatos

  • Apresentação de Trabalho em ST



Organização
Luiz Felipe Viel MoreiraUEM
Isabel Cristina RrodriguesUEM
Marcia Elisa Teté RamosUEM
Solange Ramos de Andrade DavidUEM

LOCAL

Pontíficia Universidade Católica (PUC) de Maringá

CONTATO

Sugestões/críticas

Luiz Felipe Viel Moreira
Telefone: (44) 99104-2093 / (44) 99933-5552